Conheça os sintomas da tendinite e saiba como prevenir

Spread the love

A tendinite trata-se de uma inflamação em um ou mais tendões, que são estruturas compostas por fibras resistentes, tecido conjuntivo, colágeno e uma espécie de ligamento que une o músculo ao osso. Eles são responsáveis por fixar toda essa estrutura aos ossos e estão localizados nas regiões dobráveis, como mãos, ombros e pernas. 

Essa inflamação causa muitas dores e inchaço, podendo ocorrer em qualquer região do corpo. Mesmo assim, ela costuma atingir principalmente ombros, cotovelos, punhos, joelhos e tornozelos. É um problema bastante comum, por isso é importante saber que sentir incômodo em algum tendão não indica necessariamente o quadro de tendinite. 

 

Quais são as causas

A tendinite pode apresentar diversas causas, porque os tendões não são tão fortes quanto os músculos e os ossos, por isso qualquer sobrecarga nas articulações pode ocasionar o problema. É possível que ela seja causada por uma lesão súbita, mas, de modo geral, a tendinite aparece após realização de exercícios intensos  ou repetitivos sem alongamento e preparação adequados. 

Sendo assim, as principais causas são:

– Falta de alongamento ou flexibilidade de algum grupo muscular;

– Falta de aquecimento antes da prática de qualquer atividade física;

– Excesso de movimentos repetitivos, tanto em exercícios quanto no trabalho;

– Sobrecarga em treinamentos;

– Alterações na postura corporal ou na estabilidade das articulações;

– Uso de calçados inadequados;

– Doenças autoimunes, traumatismos e estresse.

 

Tipos mais comuns

Os tipos mais comum de tendinite são: tendinite de Aquiles, tendinite do Manguito Rotador, Epicondilite Lateral ou Medial, Tenossinovite Estenosante de DeQuervaine e Dedo em Gatilho. Cada uma afeta uma região diferente do corpo, manifestando o inchaço e as dores de formas e intensidades diferentes. 

  1. Ombro, cotovelo e braço: dor em algum ponto do ombro ou antebraço, que pode espalhar para o braço; dificuldade em realizar algum movimento e em segurar objetos pesados com o braço afetado; fraqueza no braço; e sensação de fisgadas ou cãibras no ombro. Quem tem maiores probabilidades de desenvolver tendinite nessas regiões são atletas, músicos, telefonistas e professores, por exemplo.
  2. Joelho: dor na parte da frente do joelho, principalmente ao andar, correr e pular; dificuldade em realizar movimentos com a perna afetada, como dobrar e esticar; dificuldade para subir escadas ou sentar. Quem tem maiores probabilidades de desenvolver tendinite nessa região são atletas, professores de educação física e aqueles que passam muito tempo ajoelhados.
  3. Quadril: dor aguda localizada no osso do quadril, como se fosse uma pontada; dificuldade em ficar sentado ou deitado de lado, especialmente do lado afetado; dificuldade para caminhar, sendo necessário se apoiar nas paredes, por exemplo. Quem tem maiores probabilidades de desenvolver tendinite nessa região são os idosos, por causa do desgaste natural das estruturas do quadril.
  4. Pulso e mão: dor localizada no punho, que piora com movimentos com a mão afetada; dificuldade em realizar certos movimentos com o punho por causa da dor; dificuldade em tarefas simples da rotina, como segurar um copo, devido a fraqueza dos músculos. Qualquer pessoa que tenha uma atividade ou trabalho no qual faça esforço repetitivo com as mãos pode desenvolver tendinite no punho.
  5. Tornozelo e pé: dor localizada no tornozelo, que se acentua com movimentos; sensação de fisgadas no pé afetado, até mesmo em situações de repouso; fisgadas no pé enquanto caminha. A tendinite nessa região acaba atingindo com maior frequência os atletas e as mulheres que usam salto alto constantemente, devido a posição inadequada do pé.

De qualquer forma, o melhor é procurar ajuda médica. A tendinite é diagnosticada pelo histórico que o paciente conta ao profissional e pelo exame físico. O médico buscará por sinais de dor e sensibilidade, além de realizar outros testes específicos para avaliar o grau de inflamação e também eliminar possíveis causas da dor.

 

Sintomas

A tendinite apresenta diversas manifestações clínicas que variam conforme o grau de avanço da doença. Dentre os sintomas mais comuns, estão presença de dor no local, que pode se dispersar para toda a musculatura ao redor, podendo causar espasmos e fadiga. Também é comum inchaço, vermelhidão e presença de calor. 

 

Dicas de prevenção

É possível evitar que a tendinite aconteça por meio de algumas ações. Tomar cuidado com atividades que causam estresse excessivo das articulações é essencial, além de parar e descansar quando notar algum incômodo durante um movimento. Pedir ajuda a algum educador físico também é indicado, para receber orientações individualizadas.

Nunca se esquecer de alongar as articulações e os músculos, de forma a maximizar a amplitude de movimento e minimizar traumas repetitivos. Fortalecer a musculatura por meio de uma alimentação saudável e balanceada é uma ótima maneira de adquirir todas as vitaminas necessárias, principalmente cálcio e ferro.

Utilizar a pulseira de Âmbar Báltico, que também é uma ótima aliada para prevenir a tendinite. Além de se tratar de um produto homeopático (100% natural), o ácido succínico presente em sua composição tem efeitos comprovados de alívio, graças às suas propriedades analgésicas e anti-inflamatórias, sendo um grande aliado nesse momento.

 

Para conhecer as nossas joias de Âmbar Báltico, acesse o nosso site clicando aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *